Domingo, 10 de Julho de 2011

Sobre o alcatrão portajado

Somos um país de aparências. Ponto.

 

Podemos dizer a todo o mundo que temos perto de 50 auto-estradas, que temos 2.793 km de auto-estradas - que, no futuro, passarão a ser 3.383. Também poderemos dizer que temos uma das maiores taxas de auto-estradas por metro quadrado1. E, suponho, tudo isso nos faz sentir bem connosco próprios, com orgulho de termos vias em bom estado que nos levam a todo o lado rapidamente.

No entanto, as coisas não são bem assim.

 

Não me vou debruçar sobre a assimetria da localização de tais vias (principalmente, Norte e Litoral), ou sobre a redundância de algumas delas. Pretendo apenas olhar para o que temos, hoje em dia, considerado como auto-estrada, segundo a EP. É que, afinal de contas, temos auto-estradas "camufladas" - sem as mesmas terem as indicações de tal na sinalização presente ao longo das mesmas

 

Nas primeiras 25 auto-estradas, não se encontra nada de anormal2. Quando se chega à A26, porém, o caso muda de figura. Para quem não sabe, esta é a via que vai ligar Sines a Beja (o IP8), da qual existe já um pequeno troçozito entre Sines e Santiago do Cacém. Ainda sou do tempo que essa estrada lá tinha as placas de via rápida, as antigas (que, infelizmente, não consigo encontrar na net, senão colocava aqui); desde então, retiraram as ditas placas e incluíram-na neste projecto, já designando-a como "A26"... esquecendo-se de que não é uma auto-estrada: tem viragens à esquerda, cruzamentos, paragens de autocarro e não existe vedação à volta das faixas de rodagem. Depois, temos a A30, que não passa de uma via rápida entre a Ponte Vasco da Gama e Santa Iria da Azóia; a A31, que, apesar de ter "perfil de auto-estrada", possui lombas e nós impróprios para uma via exclusiva para automóveis; a A36, que... bom, é a CRIL; a A37, que é o nome "pomposo" do IC19; a A38, que é a Via Rápida da Costa da Caparica - que tem um cruzamento à esquerda e tudo, para além de paragens de autocarro ao longo do percurso; a A39, a Via Rápida do Barreiro, que, um dia, há-de dar ligação a Lisboa pela Terceira Travessia do Tejo, mas que, por agora, é uma simples via rápida com cruzamentos, rotundas e tudo; a A40 - Radial de Odivelas, que continua a manter a designação de IC22; e, para finalizar, o caso flagrante da A44, uma auto-estrada estreitinha e bermas estreitinhas, com paragens de autocarro e trocos ainda assinalados como IC23. Já agora, todos estes casos, salvo erro, não se encontram sinalizados como auto-estradas. Porém, estão incluídos no PRN2000 como tal... e também há alguns com limites de velocidades inferiores à norma e que não foram aqui referenciados, para não maçar.

Dá a ideia de que era necessário termos um x número de auto-estradas e que, dessa forma, muitas das vias rápidas e IC's existentes foram "promovidas" sem se reparar se tinham ou não perfil para isso. E, apenas mais tarde, se pensou em modificá-las, a médio-longo prazo. Não faz sentido, mas, mais uma vez, é mais um caso de nos preocuparmos com as aparências, apenas e só - por isso, a minha abertura deste texto.

 

Não sou contra as auto-estradas, atenção. Sou contra, isso sim, "dourar-se a pílula" para parecermos bem nas estatísticas e considerarmos como auto-estradas vias que não o são. Mas tudo bem.

 

 


1- Não tenho aqui os números à mão, pronto.

2- Com excepção dos troços do IC10 entre Santarém e Almeirim que já é considerado parte da A15, e do IC16 entre a CREL e a CRIL e à A20, ainda pouco assinalada como tal; e, em relação à A19, não vou comentar, por não poder comprovar a situação no terreno.


Engendrado por Nettwerk van Helsing às 15:20
Ligações a esta porcaria | Atirar pedrada | Emoldurar disfunção
|

Descrição do paciente

Procurar disfunção

 

Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
15

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Loucuras recentes

Sobre a mudança

Sobre as pedaladas

Sobre os novos acessos

Sobre o alcatrão portajad...

Sobre os carris

Sobre o Verão

Sobre a passagem do tempo

Sobre a viragem

Sobre a paixão

Sobre as moscas

Sobre as laranjas maduras

Sobre o The Wall

Sobre os entusiastas

Sobre o material circulan...

Teste

Sobre as novas pragas da ...

Fifada do dia (XXII)

Sobre a esperança

Sobre a excomungação de v...

Sobre a crise

Loucuras antigas

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Ligações ao mundo exterior

subscrever feeds