Segunda-feira, 24 de Março de 2008

Chato

Não se preocupem, que a ausência de conteúdo dos últimos dias não tem sido motivada por algum súbito mal-estar ou maleita repentina; o que se tem passado é que, pura e simplesmente, tenho estado de férias.  E, estando de férias, os meus níveis de felicidade sobem. E, por conseguinte, a minha capacidade (e vontade!) de escrever decresce. Porque, aparentemente (e gostava muito de ver esse estudo), escrevemos melhor quando estamos em baixo. E como as minhas férias acabam amanhã (não hoje, vá-se lá saber porquê... mas não sou eu que me estou a queixar, atenção!), o meu nível de felicidade já começou a decrescer; e é ao som de "Shine On You Crazy Diamond (Part II)" dos Pink Floyd que este texto vos vai chegar (só não meto aqui a música porque, sinceramente, não tenho vontade de partilhar. Nhããããã).
Bom... adiante.
No café, hoje, falou-se de chatos. Por minha causa. Apenas porque disse que era chato. E, salta-desenlaca (vá-se lá saber donde veio esta expressão), o ponto veio bater nos outros chatos. Naqueles que estão, e segundo uma certa pessoa, na "pititinha". E isso fez-me lembrar duma anedota (que não disse, na altura, porque o rumo mudou e já ficava fora de contexto), que é algo assim:

"Estava Deus a criar os animais. Andava de volta deles, apontou para um e disse:
-Tu és uma ovelha, e vais para as verdes pastagens.
E lá foi a ovelha. Então, ouviu-se uma voz fininha:
-E eu, Deus, para onde vou?
Deus ignorou-a e passou para o animal seguinte, ao qual disse:
-Tu és um urso polar, e vais para o Polo Norte.
E lá foi o urso. Novamente, voltou-se a ouvir a mesma vozinha:
-E eu, Deus, para onde vou?
Deus suspirou fundo, deu mais uns passos e chegou ao pé de outro animal:
- Tu és um golfinho, e vais para o oceano.
E lá foi o golfinho, e mais uma vez, se ouviu a voz fininha:
-E eu, Deus, para onde vou?
Deus, então, perdeu a paciência e gritou-lhe:
-Epah, tu és um chato! Vai p'ró c...!"1

E pronto, com esta história acabei de reservar a minha ida para o Inferno. Que se lixe. Assim como assim, antes calor que frio.

Ah... e agora já estou na Have a Cigar. Como o tempo voa.

1- A única coisa que sei que é certa aqui é a punch-line; originalmente, os animais eram capazes de não ser bem estes.

Engendrado por Nettwerk van Helsing às 00:37
Ligações a esta porcaria | Atirar pedrada | Emoldurar disfunção
|
1 calhau:
De daplanicie a 25 de Março de 2008 às 13:55
LOOOOOOOOOOOOOL Ai é Inferno certo, sim...


Vá, mais um calhau que o bicho ainda mexe!

Descrição do paciente

Procurar disfunção

 

Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
15

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Loucuras recentes

Sobre a mudança

Sobre as pedaladas

Sobre os novos acessos

Sobre o alcatrão portajad...

Sobre os carris

Sobre o Verão

Sobre a passagem do tempo

Sobre a viragem

Sobre a paixão

Sobre as moscas

Sobre as laranjas maduras

Sobre o The Wall

Sobre os entusiastas

Sobre o material circulan...

Teste

Sobre as novas pragas da ...

Fifada do dia (XXII)

Sobre a esperança

Sobre a excomungação de v...

Sobre a crise

Loucuras antigas

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Ligações ao mundo exterior

subscrever feeds