Terça-feira, 5 de Junho de 2007

"-Esqueci-me... mas foi por uma boa razão"

Mais uma maravilhosa descoberta, e que comprova que nós não nos esquecemos de todas as coisas de que é suposto lembrarmo-nos de propósito, mas apenas... por uma questão de prioridade.
Bom, segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nós só não nos esquecemos das coisas que são realmente relevantes, ao passo que aquelas semelhantes mas menos usadas são "evaporadas", para manter uma cabeça limpa e evitar qualquer tipo de confusões.
E vocês nem imaginam o quanto esta notícia a mim me deixou feliz. Em primeiro lugar, porque há muita coisa que me esqueço, e por este resultado vem-se a provar que tudo aquilo que me mesqueci, afinal, não era assim tão relevante quanto isso (e, por essa ordem de ideias, o que fica cá dentro é o que realmente importa). Em segundo lugar... porque é uma óptima desculpa.
Vejam lá se não é verdade: vocêstem de pagar a prestação da casa, ou do carro ou de uma outra coisa qualquer; agora, já podem argumentar que se esqueceram, "porque tive um sonho com a chave premiada do EuroMilhões e a lembrança do pagamento da prestação não era tão importante". Até dá bastante jeito, para apagarmos da mente aqueles eventos que a malta quer meter por detrás das costas o quanto antes... o que é preciso é arranjar assuntos importantes para fixar!
O problema é que isso é um pau de dois bicos. Imaginem o que é vocês chegarem a casa depois dum estafante dia em casa e a vossa mulher vos perguntar1, irado, pela prenda que vocês eram suposto comprarem para o filho que faz anos nesse dia. Se vocês se lembram de dizer algo do género:  "esqueci-me... mas foi porque tinha coisas bastante mais importantes para memorizar, no trabalho...", é meio caminho andado para comerem com a terrina da sopa na cara! É que depois, sabendo como as mulheres são, nos vão acusar imediatamente de apenas memorizarmos os nomes dos cerca de 400 jogadores da I Divisão (mais dirigentes...) e de esquecermos de quando elas são aniversariantes2...
Por isso, um conselho que eu cá faço é para usarem este magnífico atributo do nosso cérebro com alguma parcimónia.
Se bem que eu já o uso constantemente. Mas eu sou assim.

Bons esquecimentos,
NvH - Se formos buscar os camelos à Assembleia, temos o deserto completo.





1- OK, confesso que esta parte é um pouco machista; se forem senhoras, podem inverter os sujeitos referenciados na frase. A não ser que... hmm, não, é melhor não.
2- À cautela, eu tenho os aniversários todos das minhas amigas (até parece que são assim tantas...) na agenda do telemóvel. Nunca se sabe...


Engendrado por Nettwerk van Helsing às 16:54
Ligações a esta porcaria | Atirar pedrada | Emoldurar disfunção
|

Descrição do paciente

Procurar disfunção

 

Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
15

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Loucuras recentes

Sobre a mudança

Sobre as pedaladas

Sobre os novos acessos

Sobre o alcatrão portajad...

Sobre os carris

Sobre o Verão

Sobre a passagem do tempo

Sobre a viragem

Sobre a paixão

Sobre as moscas

Sobre as laranjas maduras

Sobre o The Wall

Sobre os entusiastas

Sobre o material circulan...

Teste

Sobre as novas pragas da ...

Fifada do dia (XXII)

Sobre a esperança

Sobre a excomungação de v...

Sobre a crise

Loucuras antigas

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Ligações ao mundo exterior

subscrever feeds